Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dados Lançados

"I'm not a perfect person. There's many things i wish i didn't do but i continue learning"

Dados Lançados

"I'm not a perfect person. There's many things i wish i didn't do but i continue learning"

Como é possível tanta maldade numa pessoa só?

Sempre achei a frase "quanto mais conheço as pessoas mais gosto dos animais" um completo cliché...mas tenho que admitir que me vejo forçada a dar razão a este cliché!

 

Vamos a factos: tudo começa no final de 2013.

Ninguém sabia onde deveria passar o ano. Muito se falava sobre o assunto mas sem conclusões. Então a S.V. e o D.M. chegaram-se á frente e ofereceram a casa deles. Um gesto bonito de parte deles, não fossem eles morar na mesma terra que eu. E sinceramente, para passar o ano na minha terra onde nem há fogo de artifício, prefiro passar no conforto da minha casa!

Posto isso, eu e o M. começamos á procura de alternativas e decidimo-nos pelo casino de Lisboa. A entrada era livre, a banda era boa e ainda havia fogo de artifício com uma vista magnífica.

A decisão estava tomada por isso falamos com todos para ver que queria ir também. Algo que decididamente não agradou á S.V.

Como a minha irmã aceitou a sugestão e a D.L. e o A.S. também, no dia 31 de Dezembro lá fomos os 5 passar o ano a Lisboa. E foi muito bom, diga-se de passagem!

 

Isso passou mas os ressentimentos ficaram!

Como já foi dito aqui, o M. fez anos a 18 de Fevereiro e eu estava a organizar-lhe a festa de aniversário surpresa. Assim, um mês antes (21 de Janeiro) já eu estava a falar com todos os amigos dele para aparecerem na discoteca onde ele ia passar música. Incluindo a S.V. que se dizia ser a sua fã número um. Ninguém deu grandes confirmações sem ser a D.L. e a C.F. que disseram que queriam ir, mas como ainda faltava um mês falávamos mais próximo da data.

 

Entretanto a 26 de Janeiro a D.L. fez anos e convidou-nos para o jantar. Estávamos todos reunidos no restaurante, cantou-se os parabéns, deu-se as prendas, etc. Uma noite bastante agradável, não estivesse eu e o M. de rastos.

Assim, quando já estavam todos na rua para decidir onde acabaria a festa, nós (eu, o M. e a minha irmã) despedimo-nos da aniversariante e fomos para casa enquanto eles foram para uma festa que havia numa terra próxima. Como só nos despedimos da D.L. (que era quem era "mais importante" naquele jantar, não fosse ela a aniversariante), os restantes não sabiam de nós. Logo, quando chegaram á festa a S.V. e o cunhado enviaram mensagens para mim, para o M. e para a minha irmã a perguntar onde estávamos. Sinceramente, eu só me lembro de ver a mensagem na manhã seguinte, tal como a I., e apesar do M. ter visto assim que a recebeu, ele tinha o telemóvel bloqueado por falta de carregamento (modernices!) e acabamos por não responder. O que também não caiu bem a S.V.

 

Passado uns dias fomos todos beber café, como é habito e a S.V. disse que ia fazer o jantar de aniversário dela e da P.A. no dia 15 de Fevereiro mas como só faziam anos a 16, passávamos todos a meia noite com elas.

Bem, como eu e o M. fazemos anos de namoro a 14 de Fevereiro eu disse-lhe logo que nós não podíamos ir porque eu já tinha hotel reservado para esse fim de semana e logicamente não ia desmarcar por causa delas. Mais uma coisa que não agradou á S.V. mesmo depois de afirmarmos que no próximo ano não iríamos fazer nada no nosso aniversário e comemorávamos os anos delas com elas.

 

Nem uma semana tinha passado e estávamos todos a receber mensagens a convidar para os anos dela a 22 de Fevereiro (dia da festa de anos surpresa do M.). Como é obvio, tanto eu como a minha irmã respondemos a dizer que não íamos porque era a festa dele ao que ela diz "Desculpa, mas só podia mesmo nesse dia!"

Estranho, não? Ainda a tão poucos dias estava mais que decidido que iria ser no dia 15 e depois muda tudo para o dia 22? A minha irmã bem que perguntou se não seria vingança de alguma coisa mas eu disse que não...que parva! Estava mesmo convicta que não mas afinal parece que me enganei...

 

De qualquer forma, o dia 16 chegou e tanto eu como o M. tentamos ligar diversas vezes para a S.V. para lhe podermos dar os parabéns. Nem uma única chamada foi atendida e acabamos por enviar mensagens.

Poucos dias depois o M. encontrou-a online no facebook e perguntou porque ela não tinha atendido as chamadas. Ao que ela só respondeu "É a paga pela vossa falta de resposta nos anos da D.L." e nem os parabéns deu a ele. É certo que lhe podíamos ter respondido na manhã seguinte quando vimos as mensagens. Mas sinceramente, era preciso isto?!

 

No dia 22 lá fomos nós para Rio Maior, com uma única certeza: o pessoal do nosso grupo não vai aparecer porque ela fez a festa de anos no mesmo dia e já ninguém vai de Torres Vedras para Rio Maior depois do jantar.

Bem dito e bem certo! Quase ninguém apareceu para além dos que iam connosco. 2 amigos! Apenas 2 amigos daqui apareceram na festa dele!

 

No dia seguinte a D.L. e a C.F., que passaram a semana a pedir desculpas por não irem a festa, pediram para combinarmos um café com elas para poderem dar as prendas e pedir desculpa (mais uma vez) pessoalmente.

Sem ressentimentos lá fomos nós. Quando chegamos lá elas perguntaram como tinha corrido e só me apetecia desmanchar-me em lágrimas. Sabem a frustração que é tentar organizar uma festa surpresa e chegar lá e não ver ninguém por causa de uma vingança pessoal sem sentido? Ainda hoje não acredito que aquilo realmente aconteceu!

Nós acabamos por perguntar também como tinha corrido o jantar e elas respondem "se soubéssemos nem tínhamos ido! Chegamos lá a dizer que íamos jantar com elas mas que depois queríamos ir ter com vocês e foi a pior coisa que fizemos! Acreditam que ela só partiu o bolo depois da meia noite? Já todos tinham bebido demais. A M.G. também queria ir ter com vocês mas disse que para ir para casa já tinha que ir por caminhos de terra para não apanhar a policia, quanto mais para Rio Maior!" 

 

Obviamente que para ela a vingançazinha correu lindamente mas pode ter a certeza que nunca mais vou ter a consideração que tinha por ela! Embora não é que acredite que isso lhe faça diferença. Sinceramente, gosto mesmo muito mais dos animais do que das pessoas!

 

 

Desculpem o testamente mas tinha tudo isto atravessado e necessitava de desabafar com alguém.